"PÓS-MODERNIDADE, POLÍTICA E EDUCAÇÃO - Prof. Dr. Holgonsi Soares Gonçalves Siqueira"

 

 

Esta disciplina tem por objetivos analisar as principais concepções sociopolíticas sobre a relação Educação/Estado/Sociedade, refletindo criticamente sobre os objetivos da Educação em diferentes contextos, e sobre as questões e problemáticas de cunho sociopolítico, cultural e econômico que permeiam o atual sistema educacional, relacionando-as com a atuação do cientista social na área da educação


 

 

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

 

- 1 - EDUCAÇÃO, ESTADO E SOCIEDADE: concepções sociopolíticas

- Processos de escolarização: contextos, organização e objetivos da educação

- Funcionalismo: problemáticas e limites políticos

- Teorias crítico-reprodutivistas: questões políticas sobre suas contribuições e limites

- “Nova Sociologia da Educação” : mudanças no enfoque sociopolítico

 

 

- 2 - TRABALHO, EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO HUMANA: questões contemporâneas

- Globalização e as mudanças tecnológicas: da Teoria do Capital Humano à Teoria do Capital Intelectual

- Formação integral do homem: significado sob uma perspectiva crítica

- Desafios para a formação política

 

 

- 3 - TEORIA E PRÁTICAS EDUCACIONAIS NA PÓS-MODERNIDADE

- Educação e Democria em tempos-espaços de conflitos

- Os Estudos Culturais e a Pedagogia Crítica: - diferenças étnico-raciais, de classe e gênero e a luta político-pedagógica por justiça, igualdade e liberdade

- Sociedade e Educação Libertadora: - enfoques sobre a categoria da “diferença” e o questionamento do pluralismo liberal

Ensino de sociologia: desafios teórico-metológicos (prática como componente curricular)

 


 

- Peter McLaren -

"Os teóricos educacionais têm estado tão envolvidos descrevendo a realidade das escolas e universidades existentes, que não conseguem envolver-se com a questão de como as escolas e universidades deveriam ser. Por falta de uma visão substantiva, têm ignorado a tarefa de desenvolver os fundamentos de uma filosofia pública porgressista, como um referente para reconstrução das escolas e universidades como "esferas públicas democráticas"

"Paulo Freire descreve a prática pedagógica dentro da pós-modernidade como uma prática "que aprende de modo humilde a partir das diferenças e rejeita a arrogância".  É uma prática que não rejeita necessariamente lutas históricas anteriores, mas rejeita a arrogância e a certeza que, em geral, acompanham-nas"